[Resenha] Jogador Nº1 - Ernest Cline - Cantinho Geek

08 setembro, 2018

[Resenha] Jogador Nº1 - Ernest Cline


indústria de games e tecnologia está em ascensão surpreendente, com novidades dignas de desafiar os maiores contos da ficção científica sendo reveladas toda semana. Jogos com gráficos cada vez mais impressionantes e mecânicas tão complexas que são necessárias equipes gigantescas (e muito tempo!) para produzir apenas uma dessas maravilhas do entretenimento são anunciados todos os anos. O cenário se tornou tão competitivo que, acredito eu, muitas das grandes e pequenas empresas apenas querem tirar o máximo de proveito disso, tomando uma parte do lucro potencialmente gigantesco presente na área para si.


É aí que entra o livro de Ernest Cline, com uma ideia bem simples. E se o mundo se tornasse um lugar distópico devido a crises e mudanças climáticas, o que aconteceria? Bom, de acordo com o autor, dois gênios da computação se uniriam e criariam o OASIS, um MMOG (Massive Multiplayer Online Game, ou Jogo Online Multijogador Massivo) que viria a ser o centro de toda a economia do planeta.

Mas o que faz o Jogador Nº1 intrigante não é só isso, e sim o objetivo da trama, uma competição global para colocar as mãos na fortuna de um dos criadores bilionários do jogo, que escondeu Easter Eggs pelo vasto mundo do game antes de morrer, e deixou como testamento todo o seu dinheiro para quem os encontrasse.



Eis que somos apresentados a Wade Watts. Um rapaz com problemas de saúde, pobre e antissocial, que vive conectado ao OASIS, onde se sente livre para ser quem ele quiser. Wade é a representação do jogador que encontra nos videogames uma escapatória do mundo real. 

Ele foi o primeiro a encontrar um dos Easter Eggs do jogo.

A partir daí a trama se desenvolve de maneira coordenada e surpreendente. Diferente da produção de Steven Spielberg que é obviamente focada no público jovem, o livro nos leva por um caminho muito mais maduro abordando vícios, escravidão corporativa, assassinatos, traição e abuso de poder. 

A evolução (ou não) de Wade pelo decorrer dos anos que se passam na história é crível, mostrando um rapaz se tornando homem em um ambiente hostil, obrigado a se esconder de tudo e de todos, enquanto tenta colocar as mãos no prêmio e escapar da mira de agentes das grandes corporações que o perseguem para eliminá-lo da competição.



O livro como um todo é sensacional, levando o leitor por uma jornada no mundo nerd sem perder o clima adulto da história. E não é qualquer um que vai identificar as referências que são apresentadas no decorrer das 460 páginas. Quem já viveu nessa época ou acompanha muito de perto vai se sentir em casa ao entrar com Wade no OASIS. Músicas, filmes, jogos, tem de tudo. Nada de Minecraft ou Halo e outras franquias de sucesso atualmente, como no filme. Aqui é coisa das antigas mesmo.

Se você assistiu o filme e está receoso de que irá encontrar o mesmo tom juvenil no livro, fique tranquilo, a história aqui é outra, literalmente. Pouco foi aproveitado do livro no filme, algumas reviravoltas e personagens do livro acabaram até mesmo sendo depreciados no longa-metragem. 



Não tem como não recomendar esta obra, uma mistura na dose certa de Matrix com RPG, Jogador Nº1 é mais do que recomendado não só para fãs de ficção e videogames, mas para todos que gostam de uma história adulta e bem desenvolvida.
 Resultado de imagem para jogador nº 1
Avaliação: 5/5 Estrelas 
Autor: Ernest Cline
Tradução: Carolina Caires Coelho
Editora: Leya
Ano: 2018

Já leu o livro? Gostou? Não? E da resenha? Deixe sua opinião nos comentários, este resenhista e todos os seus colegas do blog se interessam muito em saber o que vocês estão pensando!

3 comentários:

  1. Sempre tive muita curiosidade sobre este livro, mas receosa por não ser uma jogadora de video game sempre acabei deixando de ter o livro e até por medo de não entender a historia. Mas li muitas resenhas sobre a historia e creio que não há tanta necessidade de ser uma conhecedora, é um dos meus livros desejados, nunca li nado do gênero, o que me deixa mais curiosa.

    ResponderExcluir
  2. Olá,Gustavo. Tudo bem?
    Confesso que não gosto desse tipo de gênero literário. Livros assim prefiro ver indo no cinema,sabe? Não tenho muita imaginação para livros assim,mas gostei bastante da sua resenha o livro parece ser muito bom!

    ResponderExcluir
  3. Oi Gustavo!
    Ainda não vi o filme mas já está na listinha de espera, essa falta de tempo tem me deixado bem desatualizada viu...
    Mas eu chego lá, vejo o filme e se surgir oportunidade quero tbm ler o livro.
    Bjs!

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar o seu comentário! Pode não parecer, mas um blogueiro vive de comentários e sugestões, faça a sua parte e deixe esta blogueira feliz!

Dicas:
- Deixe o link do seu blog/site, eu sempre dou uma olhada!

Regrinhas básicas:
- Por favor não usem palavras de baixo calão.
- Comentários desrespeitosos serão excluídos.