[Resenha] Querubins: A Sentença da Espada - Martha Ricas


Olá geeks, tudo bem com vocês?

Hoje trago resenha do livro Querubins - A Sentença da Espada da autora Martha Ricas. A sentença da espada é o primeiro livro da trilogia Querubins, no entanto, de acordo com a autora, cada livro pode ser lido separadamente. O segundo livro é A Balança do Coração que foi lançado pela editora Coerência e em breve terá resenha aqui pela Ana.

O livro se passa em dois tempos, um beeem antigamente onde observamos Chaya e a sua missão de salvar uma cidade chamada Kernev, e outra narração que se passa aproximadamente no século 18 em Londres, aqui acompanhamos a história de Mary Grace - uma garota que pode ver os seres espirituais, tanto anjos como demônios.

Primeiramente vou falar sobre Chaya, mas já adianto que as duas narrações são interligadas e são de extrema importância para a compreensão de toda a história. Chaya é um anjo de cabelos flamejantes que não tem muito contato com os seres humanos e nem tem apreço por isso, ela prefere lutar e cortar algumas cabeças dos seres bestiais do que ter que lidar com algum humano. No entanto, tudo muda quando ela recebe uma missão de ir para uma cidade salvá-la.


Kernev sofre com anciões que cultivam magias ocultas, eles pensam estar fazendo o bem e os cidadãos acreditam nisso, porém, só estão cultuando um demônio que necessita de sacrifícios. Chaya percebe logo que os anciões são o problema pois botam medo na população que acredita piamente que eles irão salvá-los de todo o mal, só que esses sacrifícios só servem para atrair mais e mais demônios.

Ali ela conhece Vougan, um estalajadeiro que a acolhe em sua hospedaria com muito carinho e logo a Vermelha, como fora apelidada carinhosamente por ele, acaba se apegando ao bom homem. E ali ela começa a fazer com que a cidade se fortifique, ensinando os homens a lutar e a preparar armas de qualidade para a grande luta: expulsar os anciões de lá.


Já em Londres, acompanhamos Mary Grace. Uma jovem solteira e bastante perturbada pelo fato de conseguir ver os espíritos. Ela tem uma relação complicadíssima com sua mãe e poucos amigos, no entanto, ela acaba revendo um conhecido da Academia, Anton Haven, um homem que tem vários conhecimentos sobre Mary, mais até do que ela mesma.

Anton revela-lhe que assim como ela, ele também pode ver o mundo espiritual e dali vai surgindo uma amizade. Ele lhe pede algo estranho: ler um livro e assinar seu nome no final. Mary acaba descobrindo que o livro conta a história de Kernev e da guerreira Vermelha e algo muito mais chocante.

Não posso me estender muito sobre a história de Mary ou acabaria dando spoilers, mas na minha opinião é tudo muito triste.


Confesso que no começo as minhas partes preferidas eram a da Chaya, pois tinha sempre uma aventura e nas partes de Mary a leitura era arrastada fazendo com que eu lesse lentamente. O livro tem 240 páginas e demorei quase um mês para completar a leitura, não sei, acho que não estava no momento certo quando comecei a ler.

O livro não me agradou muito, mas também não foi uma decepção. Foi algo um pouco neutro e posso dizer que não gostei muito do final, esperava mais. A história de Chaya é até interessante, mas a de Mary foi um tanto quanto arrastada o que fez com que eu demorasse bastante para ler.

Outra coisa é que os capítulos são alternados entre passado e presente, mas isso não é informado no início e as vezes ficamos um pouco perdidos sem saber em quem época estamos e de quem está falando, acredito que uma informação de data ou local antes do capítulo começar seria melhor para que o leitor não viesse a se perder.


Avaliação:



Querubins: A Sentença da Espada
Autora: Martha Ricas
Editora: Novo Século


Compartilhe este post:

Comentários
29 Comentários

29 comentários :

  1. Oie! Não faz muito o estilo de livros que eu costumo ler mas a sua resenha foi MUITO BOA apesar de você não ter gostado muito do livro!!

    Beijão,
    Nerd Contemporânea

    ResponderExcluir
  2. Oi Gess!
    Sou curiosa para ler algo da Martha, mas não tive oportunidade ainda.
    O enredo parece bem legal, mas por você não ter gostado não sei se leria. Gosto de livros mais dinâmicos.
    Mas Chaya me pareceu bem interessante.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Chaya é bem interessante. Se for ler me diga o que achou!

      Excluir
  3. Olá!
    Eu não conhecia mas achei a sinopse interessante além de gostar muito da Novo Século. Fui procurar em e-book achei meio salgadinho ( na Saraiva) Já na Amazon o físico tá valendo a pena.
    Estou sendo tentada rs

    ResponderExcluir
  4. Olá não conhecia o livro nem a autoria dele, mais confesso que não cativou muito, porém sua resenha e impressões ficaram excelentes bem escrita e de fácil entendimento, parabéns, beijos!

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho curiosidade com esse livro mas sempre vejo o pessoal elogiando muito. Gostei bastante da sua resenha sincera e concordo com você sobre o livro se alternar entre passado e presente, precisa de algo que indique isso no começo de cada capítulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também vi só elogios sobre a série Querubins, mas para mim ele não funcionou.

      Excluir
  6. Oi, tudo bem?
    Eu gostei da resenha e da sua opinião imparcial e realista sobre o livro. Vai facilitar a leitura agora que você nos contou sobre a alternância dos tempos nos capítulos. Fiquei dividida agora sobre ler ou não. Chaya parece ser uma personagem muito forte pela forma como é descrita. Difícil achar protagonistas femininos assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto muito da Chaya, ela foi a melhor coisa do livro kkkkk

      Excluir

  7. Sempre ouço elogios a esse livro. Sou reticente... Não é exatamente o tipo de livro que consumo. Muito legal você ter sido realista e imparcial com sua opinião. Contou-nos de maneira madura... Bom saber sobre os tempos dos capítulos... Isso é uma coisa que bato muito na tecla. Gosto de personagens femininos fortes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por saber que gostou da resenha.
      Obrigada por comentar!

      Excluir
  8. Olá, tudo bem?

    Pelo que entendi vc teria gostado mais se fosse só a Chaya narrando? Achei interessante a ideia de "alternância temporal", mas preciso ler para saber se "ser interessante" e "funcionar" podem ser usados na mesma frase! hahahahaha

    Gostei da sua resenha, principalmente quando vc falou que talvez não fosse seu momento com aquele livro. Acredito que mesmo quando o gênero não é muito confortável ou atraente para nós - tem gêneros que não gosto - se for nosso momento com aquele livro específico, a leitura flui, se não for... bom se não for, a leitura não flui!

    bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade não. Pois são duas histórias diferentes e se fosse só a Chaya não teria a história da Mary, sabe?

      Eu gosto muito do gênero, mas acho que só não gostei mesmo.

      Excluir
  9. Oi Géssica! Eu ja tinha visti esse livri no skoob e cheguei a coloca-lo na minha listinha porque gosto muito de histórias sobre anjos. Gostei muito desse enredo da história da Chaya, ela parece ser super determinada, fiquei bem curiosa pra conhecer sua história! Pelo que li na resenha a historia da Mary não me chamou muita atenção, mas fiquei curiosa pra saber se essas histórias se complementam no final. O livro é curtinho, vou dar uma chance pra ele. Parabéns pela resenha ! Beijos

    ResponderExcluir
  10. Fiquei super curiosa com a história de Mary e esse livro que Anton pede que ela leia. Quero entender melhor como isso tudo se passa e principalmente como se desenrola. Fiquei curiosa, claro :P que pena que a história acaba arrastando um pouco =( e nem o final agradou, mas sou aquelas que dá uma chance pra tudo pela temática rsrs amei a forma como escreve! ótima resenha

    ResponderExcluir
  11. Não conheço o livro, pelo que não posso dar a minha opinião sobre o mesmo, mas gosto do tema. É o tipo de leitura que faz parte da minha lista de interesses...
    Gosto das capas, estão muito bem conseguidas!

    Beijinhos e boas leituras!

    http://magarosa3.blogspot.pt/
    (Rosa Rosa)

    ResponderExcluir
  12. Oi Gessica, tudo bem?

    Não conhecia o livro e nem a autora, mas já fiquei bem curiosa para ler a obra. Eu adoro livros com este universo de anjos, espíritos e tudo mais, são sempre fantasias que me trazem uma boa sensação. Uma pena que a leitura não tenha fluido para você, sei o quanto isto é meio ruim para o leitor. Como a narração ocorre no passado e presente, creio que gostaria da obra. Já quero ler!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Géssica
    Gosto de livros com narrativas alternadas entre passado e presente, mas não gosto quando não somos devidamente avisados rs. Eu não sou muito de ler histórias sobrenaturais, por isso não sei se leria o livro, pelo menos não agora. Mas valeu a dica.

    Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  14. Olá
    Que pena que o livro não funcionou para você, eu ando meio com o pé atrás com anjos depois de várias decepções, então por enquanto vou deixar passar a dica.

    ResponderExcluir
  15. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas confesso que antes de mais não leria por não gostar de ler do género em que se integra!!

    Enfim, e uma pena que não tenhas apreciado muito... Mas adoro que esteja com capítulos aletenardos entre passado e presente!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  16. Olá! Tenho problemas com este estilo de livro que tem personagens sobrenaturais, porque eles acabam me afastando da história (salvo algumas exceções, claro). Gostei que você apontou as dificuldades que enfrentou e posso imaginar como foram, porque quando pego uma trama que se arrasta, nossa, parece que um livro de 240 páginas se torna 20 vezes maior. Obrigada por compartilhar sua experiência e prometo considerar caso decida ler algo do gênero. Abraços!

    ResponderExcluir
  17. Oi.
    Que capa bacana desse livro, não conhecia. Pena que o final não te agradou. Eu gosto bastante dos elementos que a obra traz, que sabe, funciona comigo.

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem? Gente mais que diferenças de capas entre os dois volumes hein. Confesso que fiquei meio confusa do que se trata a história, mas gostei do que vi. Essa questão de não datarem ou demarcarem quando se tem passagens de tempo ou alternação de passagens de tempo na história é complicado. Eu também não curto não informar, mas se a história me pega de jeito eu consigo diferenciar. Se demorou um mês com certeza naõ estava no momento certo. Ótima e sincera resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem?

    Eu até curtir um pouco da história, mas esse "ir e vir" sem ter especificação não rola. Até tinha gostado da capa e iria dar uma chance, mas por causa desse "empecilho", vou demorar um pouco.

    Beijos
    Laneh Martins

    ResponderExcluir
  20. oiii

    fiquei confusa comigo mesmo aqui...

    por um lado eu quero ler o livro pq é bem o estilo que eu gosto, mas por outro lado to "meio assim" pq parece meio fraco, sei lá....sua resenha está maravilhosa e sincera e isso está pesando mais para o lado "vou ler" hehe...

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    O livro tem uma premissa bem legal, mas esse negócio de passado e presente me deixariam confusa.
    Bjs

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar o seu comentário! Pode não parecer, mas um blogueiro vive de comentários e sugestões, faça a sua parte e deixe esta blogueira feliz!

Dicas:
- Deixe o link do seu blog/site, eu sempre dou uma olhada!

Regrinhas básicas:
- Por favor não usem palavras de baixo calão.
- Comentários desrespeitosos serão excluídos.

 
Copyright © Cantinho Geek. Designed by OddThemes