[Jogo] Undertale - A vida não tem RESET



Saudações! Como você está?

Aqui é a Lu, e faz um belo tempo que não apareço aqui no blog, pois então, decidi voltar das trevas e trabalhos da faculdade para entreter vocês heheheh.

Bom, eu nunca imaginei que poderia me envolver tão profundamente com um jogo, e hoje estarei trazendo para vocês coisas interessantes e fatos que aprendi na minha jogatina em UNDERTALE.

Vamos lá!

CUIDADO PEQUENOS SPOILERS A FRENTE, LEIA AO SEU PRÓPRIO RISCO.


----------------------------------------------

Não tem RESET na vida.

Acho que uma das coisas mais interessantes que o jogo mostrou a mim durante a jogatina, foi o fato de que quando estamos fazendo algo do nosso cotidiano muitas vezes nós não mostramos um pingo de empatia com o próximo e por este motivo acabamos ferindo os outros sem ao menos pensar nas consequências futuras.

É estranho pensar que aprendi esse tipo de coisa vindo de um jogo, onde você pode simplesmente RECOMEÇAR tudo de novo. Bom meus amigos nesse jogo, quando nós escolhemos o caminho da falta de empatia, acabamos assim desencadeando sofrimento para cada um dos personagens presentes no jogo, e Toby Fox conseguiu transmitir isso muito bem.

Eu por exemplo por curiosidade (sim curiosidade de matar os personagens pra ver o que acontecia, burra), segui na rota de genocídio, que no final depois de uma batalha muito intensa com o Sans, eu desisti obviamente e resetei o jogo, fui então fazer a rota pacifista novamente, e por mais estranho que pareça, os personagens lembravam do que eu havia feito, principalmente o Sans, inclusive ele me ameaçou durante a gameplay, e não conversou nada comigo (isso foi assustador).


Isso fez com que eu começasse a pensar, que na vida real mesmo, nós acabamos fazendo isso também, pisamos na bola, ou fazemos algo ruim por prazer ou curiosidade e achamos que ninguém vai sofrer com isso, que não haverão consequências ou que ninguém irá lembrar do que foi feito.

O jogo mostra que o vilão da trama, não é Flowey, não é Chara é VOCÊ, pois você é responsável por fazer as escolhas, decidir se será misericordioso ou se será um assassino. A mensagem central é bem impactante: 

Todos somos responsáveis pelas nossas ações, sejam elas boas ou ruins, essas ações tem impacto na vida de muitas pessoas, e você o ator delas sofrerá suas consequências.



Assustador, não? 
Era isso que queria compartilhar com vocês!


Avaliação:


~Bye Bye

Compartilhe este post:

Comentários
2 Comentários

2 comentários :

  1. Eu quando comecei a jogar já comecei pensando em fazer o pacifista. Ai chegou na hora do boneco de pano e eu não entendia o jogo e quase comecei a lutar com o boneco de pano kkkk Ai meu amigo me explicou como controlava as escolhas e me veio a tentação de matar o boneco, mas eu segurei e "conversei" com o boneco. minha cara º-º O incrível é que depois dele a tentação não me ocorreu mais. Achei muito engraçado (quase comecei um genocídio, e acabou que eu gostei de ser pacifista rs). Depois jogo de forma neutra (matando uns ali outros não).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu joguei pensando em ir pelo pacifista, jogar undertale é inevitável não ir pela rota neutra quando não se é informado da mecânica do jogo. A grande pegada desse jogo é você na sua inocência matar um personagem por estar acostumado com os RPGs casuais, ai vc mata e "sente seus pecados pesarem em suas costas" e reseta o jogo. Essa é a pegada !Alguns personagens vão lembrar o que vc fez, o que é assustador e te coloca para pensar sobre seus atos.Experimente usar spare no dummy que a toriel pede pra vc conversar com ele, e veja a magica acontecer.

      Beijinhos açucarados!

      Excluir

Não esqueça de deixar o seu comentário! Pode não parecer, mas um blogueiro vive de comentários e sugestões, faça a sua parte e deixe esta blogueira feliz!

Dicas:
- Deixe o link do seu blog/site, eu sempre dou uma olhada!

Regrinhas básicas:
- Por favor não usem palavras de baixo calão.
- Comentários desrespeitosos serão excluídos.

 
Copyright © Cantinho Geek. Designed by OddThemes