[Resenha] Os livros de Esteros - As Crônicas de Fedors (livro 01)

quarta-feira, março 09, 2016 2 Comentários A+ a-

Título: Os livros de Esteros - As Crônicas de Fedors
Autor: Aldemir Alves
Volume: 01
Editora: Selo Jovem
Edição: 3 - Livro ilustrado
Número de páginas: 275


Sinopse: Fedors. “A minha consciência é atormentada por milhares de vozes e cada uma traz-me milhares de histórias, e em todas elas eu sou o vilão condenado. Voltarei no tempo para consertar meus erros. Eu quero me redimir, ofertarei o meu reino, todo o meu ouro, e se necessário, a minha própria alma.”
Esteros nos leva para um mundo medieval, onde reis se tornam homens individualistas, crianças são incentivadas a fazer o bem acima de qualquer coisa, e até mesmo o mal deixa de ser temido. Entretanto, a inocência é algo inevitável para um povo que só preza a paz.

Vamcast, o menino que desejou dominar o mundo aos 13 anos não tinha amigos e buscava constantemente o afeto do pai que era um homem frio e descuidado. Por ser assim errou na criação do seu filho. O governante descuidado traz o caos ao seu povo, mas um homem sensato precisa corrigir seus próprios erros.

-------------

Olá geeks, tudo bem com vocês?

Hoje trago a resenha de um livro que escolhi em parceria com a Editora Selo Jovem. São dois livros e este é o primeiro. Curiosos para saberem o que achei? Venham ver.

Estive pensando um pouco e acho que vou fazer esta resenha de uma forma diferente, irei falar da história, narração, ilustrações e revisão. Por que? Porque eu acho que assim ficará mais fácil para que eu dê o meu ponto de vista.

História:

No começo nos deparamos com Fedors, uma criatura imortal, porém, sem vida. Como assim? É um ser asqueroso e que está praticamente apodrecido, não está nem vivo, nem morto pois sua vida irá durar até os fins dos tempos e isso não é viver.

Um viajante passando por ali vê a criatura, curioso o mesmo se aproxima e pergunta quem é e esta diz que irá lhe contar a sua história.

Assim adentramos na história de Esteros. O mundo está em paz já que o mal anterior havia sido eliminado. O rei Mussafar está feliz por ter um reinado de paz, ele é um humano, porém, se casou com uma elfa chamada Zinza e tiveram dois filhos: Vamcast e Andor. Sendo que Vamcast é o mais velho e um elfo assim como sua mãe, já o mais novo Andor é um humano, ou melhor, um eracito como é chamado os humanos deste mundo. 

Em Esteros há Orcs criaturas malignas e que se alimenta de seres humanos, há também anões e como disse ali em cima, Elfos.

Os pequenos príncipes estão indo para os seus treinamentos de magia e outras artes. Vamcast é ótimo em tudo o que faz, porém ele tem uma personalidade um tanto quanto estranha, ele é muito agressivo contradizendo totalmente sua natureza Élfica. Já Andor é um amorzinho, todo carinhoso e bondoso, porém, é o predileto de seu pai Mussafar e isso causa muita inveja em seu irmão mais velho.

Vamcast sofre de certa forma um preconceito por ser um elfo, seu pai não lhe dá atenção e assim ele é mais apegado com sua mãe Zinza. Ele acha que seu pai não lhe dará o trono e sim à Andor tendo muita raiva e inveja do mesmo.

Em um dos seus ataques de raiva Vamcast comete o seu primeiro pecado, ele mata um ser da floresta usando magia do fogo.

Panderius o mago que ensina magia aos alunos sentiu a aura negra do filho mais velho de Mussafar e fica preocupado, ele parte para o castelo indo avisar o rei. Porém há um homem em companhia do rei chamado Destructor que escuta tudo, ele é um eracito duas caras, pois trabalha para o rei, mas sua verdadeira face serve aos Orcs.

Sabendo de uma lenda que um poderoso guerreiro iria surgir para governar os Orcs e todo o mal, ele começa a persuadir Vamcast e a ensiná-lo magia negra. Desta forma nasce o maior vilão de toda Esteros.

O que eu contei não é spoiler nenhum, já que isto está bem claro desde o início do livro.


Narração:

A narrativa é em terceira pessoa e acompanha o nascimento e desenvolvimento do vilão Vamcast. No começo do livro eu achei a narrativa um pouco cansativa já que havia muitas repetições, algo como:

A espada era passada de geração à geração. Ela veio do pai do pai dele e do pai do pai dele.
Completamente desnecessário já que se é passada de geração em geração não há necessidade de falar que ela veio dos primórdios de sua família. Este foi um dos exemplos que acontece durante a narrativa e durante o texto encontrei várias redundâncias e acho que até explicações desnecessárias.

Felizmente, no decorrer do livro a narração vai ficando mais fluída e menos cansativa, tornando-a mais rápida e prazerosa. 


Ilustrações:

O livro é ilustrativo e cheio de imagens mostrando muitos personagens e algumas cenas, porém, quando foram imprimir não colocaram elas em escala de cinza e  as imagens ficaram muito escuras prejudicando totalmente o entendimento das mesmas. Um erro fatal, pois as ilustrações encarecem mais ainda o livro e elas não terem ficado boas é decepcionante. As únicas que ficaram boas foram as que tem mais branco do que preto, vou deixar alguns exemplos abaixo:





Revisão:

Apesar de ser a terceira edição do livro ele ainda possui muitos erros. Há pontos de interrogação faltando, travessões faltando ou no lugar errado. Mas o pior foi a repetição dos "e" em lugares totalmente desnecessários.

As vezes eu tinha que ler o parágrafo de novo excluindo os "e" para uma melhor leitura. Vou dar um exemplo que eu inventei só para ilustrar.

Como está:
E ele caminhou arduamente, e olhou para o céu, sua espada caiu e ele se abaixou para pegar.

Como deveria ser:

Ele caminhou arduamente, olhou para o céu. Sua espada caiu e abaixando-se ele a pegou.

Bem melhor, não? Acho que o livro merece uma boa revisada e algumas partes devem ser reescritas já que lutas que poderiam ser bem detalhadas passam rápido e algo bobo é bem detalhado.


A história do livro em si é muito boa, apesar da revisão pecar e muito, a diagramação está boa e eu também gosto da capa.

Para quem gosta de Senhor dos Anéis, O Hobit e livros parecidos irão gostar deste.

Já leu o livro? Conte-me a sua opinião.

Até o próximo post!

Avaliação:







Tenho 21 anos, sagitariana e apaixonada por livros. Atualmente estou cursando Design Gráfico na UFG. Meus Hobbies são escrever, ler, ver Doramas, animes, filmes e séries. Gosto muito de filmes e séries de terror, mas em questão de livros e mangás eu prefiro os de romances. Em 2016 publiquei meu conto "Lilith - A Princesa das Trevas" na antologia Demontale e fechei contrato com a Young Editorial para publicar o meu livro "Porcelana: Rubrum Luna"

O animal que me representa é o lobo.




2 comentários

Escreva um comentários
09 março, 2016 Deletar

E aí Géssica aqui é o Aldemir escritor do livro, tudo bem? Vi sua resenha no link da fan page e achei bem descritiva, gostei, então aproveitei para dar uma passada aqui no seu blog. Geralmente não comento muitas resenhas e fico recluso para deixar o pessoal a vontade para ler o livro e dar suas opiniões. Enfim, agradeço pelo interesse na leitura e por sua opinião sincera, os erros estão sempre sendo corrigidos já que agora a impressão da editora é sob demanda/digital e muitos leitores estão lendo como Beta. Antes para alterar algo precisávamos esperar acabar 300 livros hehehe... Acredito que nas próximas sai bem melhor. Espero que continue lendo os outros da trilogia, e estarei torcendo para que goste (:

Responder
avatar
Géssica Marques
EQUIPE GEEK
09 março, 2016 Deletar

Olá Aldemir, tudo bem?
Eu sempre procuro ser sincera com a minha opinião.
Sim, eu informei a editora dos erros e espero que possam ser corrigidos.
Vou continuar lendo sim! Fiquei curiosa pelo final!

Abraços!!

Responder
avatar

Não esqueça de deixar o seu comentário! Pode não parecer, mas um blogueiro vive de comentários e sugestões, faça a sua parte e deixe esta blogueira feliz!

Dicas:
- Deixe o link do seu blog/site, eu sempre dou uma olhada!

Regrinhas básicas:
- Por favor não usem palavras de baixo calão.
- Comentários desrespeitosos serão excluídos.