Maratona Distopia - Entrevistas com Kate



Hoje é o segundo dia de Maratona, e depois de conhecer um pouco sobre a Kate, aqui vai duas entrevistas. Uma realizada pelo Cantinho Geek e outra realizada pela Carol Piconi, este último é um vídeo.

Amanhã será os hangouts, sendo que um será realizado amanhã. Fique atento, pois a postagem irá sair as 08:00h da manhã! Dá tempo de ler e se informar para participar do hangout que irá acontecer depois.

Agora vamos as entrevistas:

Entrevista feita por Carol Piconi



Agora a entrevista feita pelo Cantinho Geek, estarei repostando, já que a entrevista já foi postada aqui antes, podem ver aqui.

1. Quando foi que você começou a gostar de ler e escrever?

A ler, eu comecei a gostar desde bem pequena. Minha mãe sempre me incentivou à leitura e vivia me enchendo de gibis, já que eram meus favoritos. Perto de casa havia uma banca de jornal, que tinha um esquema mais ou menos assim; você pagava por uma revista e então, quando terminasse de ler, podia ir lá e trocar por outra. Como ela não podia comprar, foi a melhor coisa que poderia ter acontecido. Aprendi a ler aos 4 anos, antes mesmo de aprender a escrever meu nome completo. Desde então não parei mais! A escrever, eu também sempre gostei, porém comecei a escrever histórias - fanfics na verdade - quando era adolescente, a minha primeira foi sobre Crepúsculo, se chamava Diário Insano - acho que era isso - e eu publicava no Nyah!. Escrever um livro veio bem depois, aos 15 anos, quando eu passei por alguns problemas. Mas a paixão por ambas as coisas, sempre existiu em mim.

2. Como veio a ideia do livro “Distopia” que você irá lançar pela Editora Arwen?

Depois que assisti a estréia de Divergente no cinema, com meu namorado! Nós chegamos em casa e começamos a conversar sobre o filme, debater algumas ideias e quanto mais falávamos melhor desenvolvíamos argumentos a favor e contra a história de Verônica Roth. Pensamos em diversos pontos que foram legais e em outros que poderiam ser melhorados e quando paramos de falar, meu namorado virou para mim e falou; por que você não transforma esta nossa conversa, em uma história? Foi aí que nasceu Distopia. 

3. Já possui outros projetos em mente? Se sim, gostaria de falar um pouco sobre eles?

Sim, um já está sendo preparado para ser publicado em dezembro pela Editora Arwen, se chama A fada madrinha e irá seguir o estilo dos livros de Paula Pimenta, Patricia Barbosa e Meg Cabot, será um livro mais direcionado para o público teen e vai ser publicado em uma edição bem bacana! Também tem um outro, sobre o qual eu não irei falar muito, mas é o que estou trabalhando no momento e será publicado - se tudo der certo - em 2016. 

4. Algo que você gosta e que não gosta no livro.

Bom como todo autor, admito que há pontos que não me agradam na história. O requinte de crueldade que precisei ter ao escrever, foi um destes pontos. Pois muitos personagens foram 'sacrificados' por mim, para que o desenrolar da história tivesse realmente um ritmo mais distópico. As mortes foram necessárias mais confesso que me doeu, pois durante a criação eu de fato me senti como mãe deles. Gosto de Distopia como um todo, não posso negar, pois é uma história que me desafiou como escritora e me fez crescer também. 

5. Recadinho aos leitores: O que você quer dizer para eles?

Bom, em primeiro lugar eu gostaria de agradecer, estou sendo muito bem recebida neste mundo literário e para mim está sendo maravilhoso poder receber recadinhos no Facebook, E-mail e demais redes sociais, com perguntas sobre o livro, sobre mim, ou me dando as boas vindas. Vocês são a melhor parte disso tudo e eu estava muito ansiosa e nervosa, para que começassem a aparecer! Espero que gostem das minhas histórias tanto quanto eu gosto de criá-las.

6. Uma pergunta por curiosidade: Você é brasileira? Pois seu nome, Kate Willians, me lembra de alguém estrangeiro.

Sou brasileira sim rs, na verdade Kate Willians é meu pseudônimo. Criei ele quando comecei a escrever fanfics, pois não queria associar a 'eu filha, aluna, namorada, amiga' a 'eu escritora'. Na época isso me limitava muito pois eu não conseguia escrever com total liberdade. Resolvi manter o pseudônimo, quando virei blogueira e mais tarde, quando virei escritora porque se tornou meio que a minha identidade mesmo. A Kate se tornou parte de mim e não consigo mais me desligar dela.


Engraçado pensar que esta minha última pergunta fez a autora colocar no seu site a pergunta e sua resposta para que futuros leitores e blogueiros possam ver que ela usa um pseudônimo.

E aí? O que acharam das entrevistas? Deu para conhecer a autora um pouco mais? Espero que sim! Amanhã tem mais!


Compartilhe este post:

Postar um comentário

Não esqueça de deixar o seu comentário! Pode não parecer, mas um blogueiro vive de comentários e sugestões, faça a sua parte e deixe esta blogueira feliz!

Dicas:
- Deixe o link do seu blog/site, eu sempre dou uma olhada!

Regrinhas básicas:
- Por favor não usem palavras de baixo calão.
- Comentários desrespeitosos serão excluídos.

 
Copyright © Cantinho Geek. Designed by OddThemes