Cantinho Geek

22 julho, 2018

[Resenha] A Duquesa Feia - Eloisa James
julho 22, 20181 Comentários

A Duquesa Feia é o terceiro volume da série Contos de Fadas da autora Eloisa James. Neste livro a autora faz uma releitura do conto O patinho feio, e arrasou! Fiquei bastante surpresa pois ainda não tinha lido nenhuma releitura de O patinho feio, pois de Cinderela e A Bela e a Fera tem aos montes, inclusive o primeiro volume se chama Quando a Bela domou a Fera, e o segundo volume se chama Um beijo à meia-noite, ambos já tem resenha aqui no blog e me fizeram virar fã da autora.

Em A Duquesa Feia acompanhamos a história de Theodora Saxby, uma garota que possui um gigantesco dote. O seu pai faleceu quando ela era muito nova, e assim, o melhor amigo dele, o Duque de Ashbrook ficou por tomar conta do dote da garota, mas ela só poderia se casar com o aval da mãe, a Sra. Saxby. A mãe de Theo adora encher a filha de babados, e cá entre nós, tem sempre alguma roupa que não combina conosco e nos torna feios ou ridículos, e é isso que acontece com Theo. Acredito que as características físicas dela não são marcantes, mas as roupas que ela usa a tornam feia.

20 julho, 2018

[Resenha] Os Imortalistas - Chloe Benjamin
julho 20, 2018 2 Comentários




Lançamento de junho de 2018 da Harper Collins, Os Imortalistas é um livro surpreendente, maravilhoso, e que aqui no Cantinho Geek pode ser seu. Leia mais sobre ele na nossa resenha e participe do nosso sorteio de top comentaristas do mês clicando aqui. Aproveite para participar enquanto ainda dá tempo!

No livro, que já figurou a lista de mais vendidos do The New York Times, os quatro irmãos Gold são parte de uma família judaica que vive em Nova York. Embora isso possa parecer algo bacana visto hoje, no ano de 1969 não era bem assim. Nova York era uma cidade bastante perigosa e diferente do polo turístico atual.
Filhos de uma secretária e um alfaiate, os Gold não tinham muito dinheiro e dividiam um quartinho apertado, onde duas beliches se espremiam e exigiam um contato muito próximo, mesmo que eles tivessem personalidades muito diferentes.


Varya, Daniel, Klara e Simon ainda estão entre a infância e início da adolescência. Cada um tem uma característica distinta: Varya é a irmã certinha, Daniel o rapaz corajoso, Klara a mocinha que quer saber mais sobre as raízes da família e adora mágica e Simon, o caçula de apenas 7 anos, é o queridinho de todos. Eles visitam uma vidente que diz ser capaz de prever quando cada um deles irá morrer. A exigência dela, porém, é que cada irmão tenha sua consulta individualmente. Por isso, durante muitos anos, os irmãos Gold não sabem o que a vidente disse para cada um.
A questão “se você soubesse a data de sua morte, como viveria sua vida?” aparece na sinopse do livro e é quase um resumo da temática dele.

Escrito inteiramente em terceira pessoa, Os Imortalistas é dividido em 5 partes. Cada uma focada em narrar a vida de um dos irmãos Gold e contando como o encontro com a cartomante afetou individualmente o destino deles.
Através dos Gold, conhecemos intimamente a realidade de diversas partes dos Estados Unidos desde os anos 70 até o momento atual. Convivemos com seus medos, dúvidas e a ansiedade crescente por uma data onde tudo terá um fim — mesmo sem saber com certeza se a profecia se concretizará ou não. É impossível não se pegar torcendo para que a vidente seja apenas uma charlatã. O livro faz com que você se apegue à família e torça pelos Gold, ou pelo menos pela maioria deles.
Apesar de o nome trazer uma ideia um tanto mística para o livro, ele é muito calcado na realidade e traz principalmente elementos de drama e um tanto de suspense. Em alguns momentos, você chega a quase esquecer que há uma contagem regressiva para cada personagem e acaba focando nos dramas atuais de cada um deles.

Há também uma série de pequenas adições interessantes e que podem variar muito de personagem para personagem, como o mundo da dança, do vaudeville, ilusionismo, pesquisas genéticas, além de discussões importantes, como alcoolismo, depressão, suicídio, homofobia, maternidade, TOC e a forma como o HIV surgiu nos anos 80. Tudo tratado de forma respeitosa e responsável.
A trama toda claramente envolve muita pesquisa e cuidado para amarrar alguns momentos com acontecimentos históricos. A própria autora, inclusive, trata de nos confundir  um pouquinho, mas sem nunca deixar de solucionar plausivelmente e amarrar cada ponta que tenha deixado solta.
Li o livro em apenas um fim de semana e me apaixonei pelas melhores características de cada um dos Gold.


Não dá pra deixar de citar que a Harper Collins caprichou nessa edição! Como podem ver nas fotos, ela foi feita em capa dura e impressa em papel de ótima qualidade. A arte de capa é linda e tem um acabamento fosco charmoso, mas que pode deixar marquinhas de dedos na superfície. De qualquer forma, basta um pano levemente úmido para deixá-la como nova outra vez.
Talvez a capa e sinopse dêem uma falsa impressão de algo mais voltado para o terror ou suspense sobrenatural, então é importante deixar claro que não é o caso. Os Imortalistas é um drama familiar muito mais agarrado à realidade, mas com doses de suspense e até de investigação policial.


A diversidade temática pode abraçar muitos públicos, uma vez que acompanha os personagens que transitam desde a adolescência da década de 80 até os dias atuais.
Esse é o primeiro livro de Chloe Benjamin traduzido para o português brasileiro, mas seria um desperdício se fosse o único (fica a dica, viu Harper Collins Brasil?). A tradução, aliás, foi muito bem feita e adaptada para a nossa língua, o que torna a leitura mais fácil e agradável.
Então se você gosta de ficção contemporânea, corre para comprar o seu ou tente participar do nosso sorteio!


Avaliação:
5/5
Resultado de imagem para imortalistas chloe benjamin



19 julho, 2018

[Filme] A Última Casa da Rua
julho 19, 2018 8 Comentários
Fala galera! O review de hoje é sobre o filme A Última Casa da Rua. O filme foi produzido em 2010, só que foi lançado apenas em 2012, após o sucesso da franquia Jogos Vorazes, pegando carona no sucesso que Jennifer Lawrence, protagonista de ambos os filmes. Esse é um daqueles filmes que nos engana MUITO pelo trailer!


Na história, Sarah (Elisabeth Shue) e sua filha Elissa (Jennifer Lawrence) se mudam para um casarão em outra cidade para começar uma nova vida. O que a mãe não tinha revelado para filha era que o aluguel da casa estava baratíssimo porque a casa ao lado (a última da rua) foi palco de um assassinato. A jovem Carrie Anne (Eva Link) matou os pais no local e depois desapareceu, deixando apenas seu irmão Ryan (Max Thieriot) que ainda mora na mansão sombria.


Claro que entre todos os jovens da cidade, Elisa vai se interessar por quem? Bingo! Por Ryan. O jovem além de ser introspectivo, é odiado pelos moradores da região e ainda esconde um segredo no porão. Já perceberam que o filme usa e abusa de todos aqueles clichês que conhecemos né? A primeira metade do filme não é lá muito agitada, dando um ou outro susto em determinados momentos e utilizando a trilha sonora para contribuir com isso. 


Quando nos aproximamos da reta final, aí sim surgem uma série de reviravoltas e surpresas que deixam o longa mais interessante. O plot twist é maravilhoso e nos deixa com a boca aberta! Fiquei chocado! Pena que o filme demore tanto para engrenar e só nos momentos finais entregue momentos de tensão e adrenalina. 


Em uma determinada cena, Ryan e Elissa estão olhando uma árvore qualquer e ele diz para ela observar melhor, a garota então enxerga o que se parece com um rosto esculpido naturalmente no tronco da árvore. E é essa a metáfora que o filme quer nos passar: Esteja atento ao que você vê e perceberá algo além de sua aparência inicial. Apesar disso, o filme deixa a desejar no quesito terror. Não espere ficar sem dormir ou grandes sustos. Mas o final é surpreendente. Já assistiu o filme? Conta para a gente o que achou!


Por: Rodrigo Fonseca
Siga-me no Instagram e acompanhe minha Fan Page

18 julho, 2018

[Série] Breaking Bad - Sem spoilers
julho 18, 2018 7 Comentários

Sinopse: Walter White (Bryan Cranston) é um professor de química na casa dos 50 anos que trabalha em uma escola secundária no Novo México. Para atender às necessidades de Skyler (Anna Gunn), sua esposa grávida, e Walt Junior (RJ Mitte), seu filho deficiente físico, ele tem que trabalhar duplamente. Sua vida fica ainda mais complicada quando descobre que está sofrendo de um câncer de pulmão incurável. Para aumentar rapidamente a quantidade de dinheiro que deixaria para sua família após sua morte, Walter usa seu conhecimento de química para fazer e vender metanfetamina, uma droga sintética. Ele conta com a ajuda do ex-aluno e pequeno traficante Jesse (Aaron Paul) e enfrenta vários desafios, incluindo o fato de seu concunhado ser um importante nome dentro da Agência Anti-Drogas da região.

Tudo começa com uma pequena fabricação de metanfetamina com a finalidade de juntar 700 mil dólares para deixar de herança para sua família, porém o senhor White como é chamado por Jesse acaba crescendo o olho. 

Após uma conversa com Hank o senhor White acaba ficando sabendo que o mercado de drogas é muito lucrativo e aproveita da situação para adentrar ao mercado junto a um ex-aluno, o único problema era que seu cunhado era um agente importante da narcóticos no Novo México, porém isso acabou sendo um ponto positivo no futuro.

Eles começam a vender as drogas apenas em baixa quantidade, porém, o senhor White quer mais, quer ter um alcance maior, então ele decide procurar o traficante que comanda um bairro, então é ai que ele conhece Tuco Salamanca o sobrinho de um dos maiores traficantes do Novo México.

As vendas vão aumentando cada vez mais, conforme a quantidade de fabricação da droga é aumentada o lucro também aumenta e agora o senhor White já não está mais interessado nos 700 mil dólares, ele quer muito mais. 

Jesse é um personagem sofrido, a sua família não o aceita porque ele tem problemas com drogas, ele tenta sair do mundo das drogas porém acaba conhecendo uma garota e após uma fatalidade ele cai naquele mundo sofrido de novo. Jesse é muito querido pelo senhor White e ao mesmo tempo muito manipulado por ele, o senhor White aproveita que Jesse é extremamente leal para usar o garoto em suas atividades perigosas.


As drogas fabricadas por White ficaram muito famosas pela sua coloração e pela pureza, as drogas anteriores no mercado tinha uma pureza de 60-70% já as de White ultrapassavam os 95% de pureza, e além disso, ela tinha uma coloração azulada, então o produto dele era totalmente diferente de tudo que os narco traficantes já haviam visto. 

No inicio eles cozinham a droga em um trailer no meio do nada, porém conforme os negócios vão crescendo eles tem uma proposta de trabalhar em um super laboratório, montado pelo grande traficante, o Big Boss, que eu não posso citar o nome.

Em meio a tudo isso o senhor White fica lutando com o seu câncer que melhora por um tempo.

Eles começam a produzir uma quantidade absurda de metanfetamina por semana, em torno de 100kg e iriam ganhar uma boa grana pelo trabalho, porém White acaba percebendo que o dinheiro que eles iriam ganhar era pouco comparado ao que o traficante Big Boss iria receber.


O senhor White vai se tornando um homem frio e sem piedade, conforme os obstáculos vão aparecendo ele dá um jeito de sumir com eles. Para que a sua família não descubra o seu trabalho secundário ele cria um codinome: Heisenberg!

E para finalizar porque eu não quero acabar dando algum spoiler sem querer, eu digo, vale muito a pena, para as pessoas que gostam de drama é uma grande oportunidade de sofrer junto com esses personagens.


Espero que tenham vontade de assistir e aproveitem tão quanto eu aproveitei essa série!
Assista em: Breaking Bad

Até a próxima!

16 julho, 2018

[Série] Samantha!
julho 16, 2018 12 Comentários
Fala galera! O review de hoje é sobre a série Samantha! (sim, com ponto de exclamação). Criada por Felipe Braga, para a Netflix em parceria com a produtora Los Bragas, dirigida por Luis Pinheiros e Julia Jordão, roteirizada por Roberto Vitorino, Patricia Corso, Rafael Lessa e Filipe Valerim. 


A série resgata aquela nostalgia para aqueles que viveram nos anos 80. A personagem-título foi uma estrela mirim de sucesso no passado com o grupo musical Os Plimplons. Atualmente, ela tenta de todas as formas voltar aos holofotes e resgatar sua fama. Samantha (Emanuelle Araújo) ainda tem um ex-marido jogador de futebol, Dodói (Douglas Silva), que após sair da cadeia continua fazendo um certo sucesso na mídia. Qualquer semelhança com Simony e o Balão Mágico é mera coincidência (risos).


A série é leve, divertida e contagiante. Os 7 episódios são tão legais que maratonei numa tarde de sábado. Quando percebi já estava no último episódio e querendo mais. Os personagens são cativantes: temos o empresário de caráter duvidoso Marcinho (Daniel Furlan); a digital influencer – que tem milhares de fãs sem nunca ter aparecido na TV – Laila (Lorena Comparato); o famoso Flávio Júnior (Paulo Tiefenthaler) que já casou várias vezes (alô Fábio Junior!); o mascote do grupo, Zé Cigarrinho (Ary França); e os ex-Plimplons Bolota (Sidney Alexandre)  e  Tico (Rodrigo Pandolfo).


Temos ainda os filhos de Samantha e Dodói: Cindy (Sabrina Nonata) e Brendon (Cauã Gonçalves). Ela, toda feminista, ecológica, vegana. Ele, super inteligente. As crianças são carismáticas e talentosas, roubando a cena vários momentos. E sem contar as várias mensagens subliminares como a faca dentro da boneca de Samantha (Alô boneco do Fofão!) e o disco dos Plimplons que ao contrário revela algo (Alô Xuxa!). Super recomendo a série. Você vai rir e matar um pouco da saudade dos anos 80. Se você já assistiu comenta aí o que achou!



Por: Rodrigo Fonseca
Siga-me no Instagram e acompanhe minha Fan Page

12 julho, 2018

[Filme] Homem-Formiga e a Vespa
julho 12, 2018 14 Comentários
Fala galera! Hoje trago um review quentinho: o recém-lançado Homem-Formiga e a Vespa! Depois do final pesado e sombrio de Vingadores – Guerra Infinita, a Marvel Studios lançou um filme mais leve e despretensioso. Um filme mais divertido e sem ameaças intergalácticas ou globais. Se você, assim como eu, não assistiu ao primeiro filme, ainda assim conseguirá entender tudo.


Scott (Paul Rudd) está cumprindo o final de sua prisão domiciliar em virtude dos eventos de Capitão América: Guerra Civil (2016) e assim poderá passar mais tempo com a sua filha, Cassie (Abby Ryder Fortson). Já Hank (Michael Douglas) e Hope (Evangeline Lilly) querem resgatar Janet (Michelle Pfeiffer) que está presa no reino quântico e precisarão da ajuda de Scott. Eles ainda terão que enfrentar o mafioso Burch (Walton Goggins) e a Fantasma (Hannah John-Kamen) antes desse resgate. Temos ainda o amigo de Scott, Luis (Michael Penã) que rouba a maioria das cenas em que aparece com seu jeito espontâneo de ser.


As cenas de ação, principalmente as que envolvem a Vespa são muito bem feitas e eletrizantes. A brincadeira com objetos que aumentam e diminuem de tamanho trazem ainda mais adrenalina para essas sequências. O foco nesse segundo filme é o reencontro do pai e filha com a mãe perdida. Apesar de não termos cenas grandiosas, com explosões mirabolantes e barulhentas que já estamos acostumados no universo Marvel, temos excelentes efeitos especiais, ótima química do casal protagonista e muito humor.


Homem-Formiga é um filme familiar e de muita qualidade. Aqui o menos, vira mais. O simples vira extraordinário por ser tão bem feito. Vale a pena o ingresso! E um aviso de utilidade pública: Temos duas cenas pós-crédito. A primeira é bem tensa e quem viu Guerra Infinita entenderá e a segunda... Bem, a segunda vou deixar vocês verem por si mesmos! Se já assistiu o filme, comenta aí o que achou!


Confira o trailer!


Por: Rodrigo Fonseca
Siga-me no Instagram e acompanhe minha Fan Page

10 julho, 2018

[Série] The Sinner
julho 10, 2018 18 Comentários
Fala galera! Estou de volta e hoje vamos falar da série The Sinner (A Pecadora), minissérie da USA Network baseada em romance policial da escritora alemã Petra Hammesfahr e que está no catálogo da Netflix. O livro homônimo foi publicado no Brasil pela Novo Século Editora.


Somos apresentados a Cora Tannetti (Jessica Biel) casada com Mason (Christopher Abbott), mãe do menino Laine (Grayson Eddey) de três anos e moradora de uma pacífica e pequena cidade no interior de Nova York. Um belo dia, quando está na praia com a família descascando uma fruta, ela se levanta e mata com sete facadas Frankie Belmont (Eric Todd), um homem que nunca viu na vida. Ou aparentemente nunca viu.


É aí que a história começa a se desenrolar. Já sabemos quem matou. Agora precisamos entender o porquê. Logo de cara ficamos sem entender porque Cora matou aquele desconhecido após ouvir uma música que a deixou transtornada. E ao longo dos episódios vamos descobrindo novos detalhes desse acontecimento e do passado de Cora que vão se conectando com o crime que ela cometeu.


Conhecemos sua infância e sua relação com seus pais e sua irmã Phoebe (Nadia Alexander). Descobrimos que Cora esconde um passado muito sombrio e misterioso e que ela não consegue lembrar de muitas coisas. E aí que entra o detetive Harry Ambrose (Bill Pullman). Ele percebe que há algo de errado na história e com seu faro investigativo começa a buscar uma resposta para o assassinato. Cora se recusa a qualquer direito de defesa e quer ser condenada pela morte de Frankie. A atuação de Jessica Biel é irretocável e ela está excelente no papel.


A série vai nos prendendo, nos envolvendo e a cada episódio ficamos mais curiosos para entender o motivo real de Cora ter matado Frankie. E aí chegamos no episódio 7. O que foi aquele episódio? Ficamos chocados, sem ar com a grande revelação e tudo faz sentido então. O oitavo e último fecha tudo com chave de ouro e torna a série uma das melhores que já vi. Super recomendo a série! Assistam! Vale muito a pena! Se você já assistiu comenta aí o que achou.


Trailer da primeira temporada:




A próxima temporada será uma nova história, mas mantem o detetive Ambrose. Confira aí o trailer:


Por: Rodrigo Fonseca
Siga-me no Instagram e acompanhe minha Fan Page

07 julho, 2018

[Resenha] Volta para Casa de Harlan Coben
julho 07, 2018 7 Comentários
Olá, Geeks! Como estão?

Hoje vou falar um pouquinho sobre o livro "Volta para Casa" de um dos meus autores favoritos: Harlan Coben!


Harlan Coben para mim é um dos melhores escritores de suspense da atualidade e Volta Para Casa é um suspense muito intenso, cheio de revelações e reviravoltas, que é uma característica marcante nas histórias do autor.

A narrativa nos conta sobre dois meninos que desapareceram 10 anos atrás em um bairro de Nova Jersey e após o pedido de resgate dos sequestradores, estes garotos nunca mais foram vistos. Depois de todo esse tempo, Myron e seu companheiro Win, acham ter encontrado um deles: Patrick.

Dentro desse acontecimento, Myron e Win passam por muitas situações perigosas em que precisam lidar com bandidos perigosos, deixando a trama enérgica e claro, deixando o leitor cada vez mais curioso e envolvido.



Uma característica de Coben que me chama a atenção em sua escrita, é o fato do livro possuir muitos diálogos, o que torna a leitura rápida, dinâmica e sem complicações e que ao mesmo tempo prende o leitor de forma incrível. Você começa a ler, logo já se passam 50 páginas. Outro ponto a ser observado é  que Myron e Win também me lembraram um pouco de Sherlock Holmes e Watson.





Como a história vem de uma série de Myron Bolitar, algumas referências a livros anteriores podem deixar o leitor sem entender, mas a narrativa em si é independente. Por isso, não se preocupem quanto a esse ponto, pois não é nada que estrague a leitura.

Se você gosta de ação, suspense e investigação policial, esse livro é um prato cheio!

Avaliação: 4/5