Cantinho Geek

15 abril, 2019

[Resenha] Dança Fúnebre - Vivianne Sophie
abril 15, 20190 Comentários

Dança Fúnebre é o lançamento da autora Vivianne Sophie na Amazon. A autora segue o gênero do terror dentro da trama, e apesar das poucas páginas, a história começa e termina exatamente onde deveria. Não há cenas rápidas ou encheção de linguiça, tudo está lá por um motivo. A leitura é extremamente prazerosa e quando termina você já pensa "eu quero a continuação disso, preciso ver as novas aventuras de William".

Dança Fúnebre está por apenas R$ 2,99 na Amazon, confira aqui. O livro tem cerca de 125 páginas, é uma leitura curta e divertida. Na história, acompanhamos a vida de William Parker, ele simplesmente odeia os mortos, pois a casa de seus pais era uma funerária, e por causa de um certo acontecimento traumático ele tratou de se mudar assim que pôde e nunca mais voltou. 

William consegue falar com mortos e ele descobriu isso no funeral de seu avô quando a sua mãe o forçou a tocar a mão do defunto. Com isso ele viu o seu avô dizendo o quanto doía, uma cena muito mórbida e chocante. Só que o pobre garoto jamais imaginou que isso foi um dom, pensou ele que era apenas um delírio pelo gigantesco medo que sentiu. Como Wiliiam morava em uma cidade de interior, logo ele ficou conhecido como um garoto maluco. Ele cresceu e saiu da cidade para fazer faculdade e nunca mais voltou, até que sua melhor amiga de infância, Jéssica, morreu. E ele teve que ir ao velório, ele tinha que ir.


A ida de William de volta para sua cidade junto com a sua companheira - ainda não oficial - Amanda, traz uma série de acontecimentos para revelar a verdadeira morte de Jéssica e sobre o dom de William que até então ele não sabia que se tratava de um dom.

Os personagens são cativantes e todas as pontinhas do livro são fechadas no final. Sabe aqueles livros que cada volume mostra uma aventura do personagem? Na minha opinião, A Saga do Necromante deveria seguir isso. Eu quero muito acompanhar o William em outras aventuras e até desvendar alguns mistérios e também o aprimoramento de sua habilidade.

Se você gosta de livros curtos e rápidos tenho certeza que irá amar este!

Avaliação:
5/5



12 abril, 2019

[Resenha] Até Onde o Amor Alcança de Júlio Hermann
abril 12, 20190 Comentários
Olá, Geeks! Como estão?

Hoje vou falar um pouquinho sobre este livro maravilhoso do escritor Júlio Herman. Até Onde o Amor Alança nos traz pequenos fragmentos de textos de amores vividos, de partidas, de chegadas e das saudades de alguém. Na verdade, ele traz também uma imensa reflexão sobre o redescobrimento de si próprio ao fim de uma relação ou ao estar em uma relação.


O amor é algo complexo e nem sempre termina com um final feliz. Ao invés de deixar o leitor em uma zona de conforto, o autor nos mostra a realidade sobre amores: nem sempre tudo é belo, mas também nenhuma dor é para sempre.

Os textos são viscerais e mexe com algo lá no fundo do coração do leitor. Pode te fazer lembrar de alguém especial, pode fazer você se identificar com a dor do narrador, pode fazer você até temer se machucar com alguém. Mas ele deixa uma reflexão forte de que podemos aprender muito com o amor, podemos aprender muito sobre as pessoas, e podemos aprender muito sobre nós mesmos. Todos sofreremos um dia ou já sofremos por alguém, por um fim de relacionamento, por uma drama amoroso, mas sempre há tempo para recomeçar, para reerguer-se.



Além de textos em prosa, há alguns poemas no decorrer do livro que é repleto de ilustrações maravilhosas, junto de uma diagramação muito boa. Além de todo o trabalho gráfico incrível, cada texto tem uma música, que acredito que seja para ouvir enquanto lê. E foi o que eu fiz. Escutei cada música lendo o texto e posso dizer que a experiência de leitura fica muito mais tocante, pois são músicas calmas e românticas, de certa forma. Até conheci músicas que adicionei à minha playlist, pois gostei muito.


Além do texto maravilhoso e do assunto abordado em cada um deles, a proposta das músicas foi algo que me chamou atenção. E claro, o design inteiro do livro é maravilhoso e rico em detalhes.

Avaliação: 4/5


[Resenha] Um Farol no Pampa - Letícia Wierzchowski
abril 12, 20190 Comentários



Em minha primeira resenha aqui no Cantinho Geek resolvi trazer literatura nacional de primeiríssima qualidade, escrita por um autora já consagrada e minha conterrânea aqui do sul do país: Um Farol no Pampa da Letícia Wierzchowsk, lançado em 2004 pela editora Record

O livro é a continuação de A Casa das Sete Mulheres, uma história que inclusive ganhou uma minissérie da Globo em 2003. Eu li o primeiro livro há uns 2 anos e não sabia que ele tinha continuação até recentemente, quando fiquei sabendo fui atrás pra ler e descobri o que acontecia com as mulheres da família de Bento Gonçalves após a Revolução Farroupilha.

E Um Farol no Pampa, conta justamente sobre as décadas que se seguiram após a revolução até pouco depois à Guerra do Paraguai. O livro já inicia com a morte do famoso líder Bento Gonçalves e segue contando a história da família, de Dona Antônia, Mariana, Caetana, Manuela e outras.

Entretanto, o protagonista é um homem: Matias, filho de Mariana e criado por Antônia. Desde a infância ele apaixona-se por sua prima: Inácia. Os dois crescem juntos e já na adolescência ficam noivos, prometendo que se casarão no futuro.

Porém, a Guerra no Paraguai começa e Matias, mesmo não sendo um homem de "peleias" decide participar e lutar ao lado do exército brasileiro. Após alguns combates e muitos dias na chuva e no frio, ele é ferido e passa um tempo entre a vida e a morte, sem conseguir nem ao menos comunicar-se por cartas com sua amada. Depois de tanto tempo de silêncio, tentando encontrá-lo sem conseguir, Inácia é levada a crer que Matias morreu e após viver o luto, aceita que precisa seguir sua vida e casa-se com outro rapaz que não foi para a guerra e já lhe cortejava há algum tempo

Ao retornar ao Rio Grande do Sul, ainda ferido e febril, Matias é informado sobre o casamento de sua antiga noiva e após recuperar-se e ter uma última conversa com ela, decide ir embora do sul do país e tentar sua vida em outro lugar. No Rio de Janeiro ele conhece uma moça rica que apaixona-se por ele, casa e tem um filho com ela, apesar de jamais esquecer a paixão de infância.


Os primeiros capítulos do livro se iniciam justamente após a morte de Matias, quando seu filho é informado que herdou as estâncias do pai no Rio Grande do Sul e decide retornar à terra dos seus ancestrais e descobrir mais sobre seu passado. A partir de então, Letícia intercala capítulos sobre diferentes perspectivas e em diferentes épocas, contando a vida das setes mulheres do livro anterior, a infância de Matias, os horrores que viveu na guerra e a disposição de seu filho em buscar saber mais sobre o passado.

Preciso destacar que Manuela é a única personagem que permanece do início ao fim, vivendo confinada em sua casa, sozinha e aguardando o regresso de seu antigo namorado: Giuseppe Garibaldi. Mesmo após a velhice, ela prossegue usando seu vestido de noiva todos os dias ao entardecer e esperando pelo retorno dele, que nunca ocorre. De seu casarão ela é vista somente nas janelas, onde as crianças zombam e a chamam de louca. Entretanto, ela mantem-se consciente, torna-se amiga e confidente de seu sobrinho Matias e posteriormente reencontra o filho dele e explica sobre o passado do pai.


A autora mostra nessa obra um vasto entendimento sobre a psique humana, construindo personagens reais e verdadeiros, que possuem medos e sonhos próprios, se contradizem e sofrem. É como se pudéssemos entrar no mais profundo consciente de cada personagem e amá-los e ao mesmo tempo odiá-los, entendo suas motivações. Letícia também tem domínio sobre a cultura e o modo de ser do gaúcho, abordando com sutiliza o modo próprio de vida deste.

Lendo Um Farol no Pampa, também é possível aprender e conhecer mais sobre a Guerra do Paraguai, entender suas dificuldades, como ela começou, a participação do Uruguai e da Argentina, entre outras coisas.

Assim como em O Tempo e o Vento do Érico Veríssimo, somos apresentados a uma ficção histórica que nos faz rememorar e reviver o passado como se estivéssemos presentes nos principais acontecimento do Brasil e amar e conhecer a força das mulheres gaúchas, que sempre foram únicas e sobreviveram ao horror de diversas guerras, mesmo perdendo nelas pais, maridos e filhos. O bônus que a Letícia nos traz nessa história é a introdução, pouco a pouco, de elementos do realismo mágico que será recorrente em outras obras da autora.

Avaliação: 
5/5

Adquira na Amazon:
  Edição de Bolso (foi a que eu li) 


24 março, 2019

[Mangá] A menina do outro lado - Nagabe
março 24, 20190 Comentários

Olá amores, tudo bem? Hoje trago-lhes um vídeo bem curtinho meu falando do que achei dessa obra maravilhosa que foi publicada pela DarkSide Books. A menina do outro lado é um mangá que traz muitas emoções ao leitor, mas não vou me alongar muito aqui, vou deixar que vejam o vídeo (sem spoilers).

20 março, 2019

[Filme] O menino que descobriu o vento - Netflix
março 20, 20190 Comentários

Que filme! Esta é a expressão que tenho a dar para este filme da Netflix, uma obra que te parte o coração em alguns acontecimentos e te faz feliz em outros.

O filme é um drama britânico que foi lançado em março deste ano de 2019, dirigido e estrelado por Chiwetel Ejiofor, conta a história baseada no livro de memórias The Boy Who Harnessed The Wind, de William Kamkwamba e Bryan Mealer.

A obra conta a história de um jovem que vive na extrema pobreza e utiliza da agricultura na África para sua sobrevivência e de sua família. O menino após descobrir um livro de ciências na escola constrói uma turbina eólica para salvar seu vilarejo da fome e da cede. 


O país esta passando por uma crise, só que a venda de sementes para plantar e fazer a alimentação é regrada pelo governo e com isso várias famílias passam a sofrer com a fome. As empresas de tabaco que querem explorar a região se aproveitam e colocam pressão para comprar as terras do vilarejo, essas empresas estão interessadas nas lenhas que ali estão, já que as mesmas são ótimas para a produção do tabaco. 

Malawi esta em um período grande sem chuvas com uma seca que parecia nunca acabar, porém quando a chuva vem ela alaga a plantação e acaba com as chances de produção. William esta no começo de suas aulas porém sua família não tem dinheiro para mantê-lo no colégio e ele acaba sendo expulso da escola pelo Diretor.

William começa a ir a escola de forma escondida para aprender já que ele quer melhorar de vida, só que um dia ele é pego pelo diretor e é definitivamente expulso. Ele usa de alguns contatos para utilizar a biblioteca de forma escondida e após descobrir um mecanismo magnético que utilizava da energia mecânica para gerar energia elétrica, ele começa a estudar os livros de ciências da escola. E desenvolve um projeto que pode salvar a vida de várias pessoas que vivem naquela região.

Vários moradores venderam suas terras e fugiram, porém, William não queria fugir, ele queria lutar por aquele lugar da mesma forma que seu pai lutava. Mas para a construção de seu projeto ele precisava da preciosa bicicleta que seu pai tinha, e não era só esse o seu problema, o maior deles acredito, é que o pai dele achava que tudo que ele vinha planejando não se passava de uma brincadeira de criança e quando William foi falar com ele sobre pegar a bicicleta para desenvolver seu projeto o pai ficou irado. 

Mais você pode dizer assim: "A Keslley mais é só uma bicicleta, porque o pai dele ficaria tão raivoso", mas você já parou para pensar, que as vezes aquela coisa que pra você não vale tanto para uma outra pessoa necessitada pode ser sua única forma de viver?


(Imagem de William na vida real)

O filme te faz pensar o tempo todo em como a gente não dá o devido valor as nossas conquistas, em como a gente é acostumado a ter um prato de comida todo santo dia, em ter roupas novas, em passear, em tomar um sorvete, tudo isso fica muito mais saboroso e divertido depois que você assisti esse filme, porque você dá o devido valor.

Eu espero que tenha despertado a curiosidade em vocês, eu acredito que esse filme foi um dos mais marcantes que assisti nos últimos tempos e super indico para vocês. Vou deixar aqui abaixo o trailer do filme e espero que vocês assistam. Depois venham aqui nos comentários me dizerem o que acharam ok?!

Até a próxima Geek's!

Avaliação: 5/5


11 março, 2019

[Filme] Capitã Marvel: Tudo que esperávamos e muito mais
março 11, 20190 Comentários
Fala galera! Estou de volta e hoje o review é sobre o filme Capitã Marvel. Assisti na pré-estreia e foi emocionante estar ali junto de fãs que há muito tempo aguardavam que a história da nossa heroína ganhasse vida. Vers (Brie Larson) só tem alguns flashes de sua vida, fragmentos esses bem confusos e que deixam nossa protagonista sempre em dúvida sobre seu passado. Ela vive em outro planeta (Hala), é treinada para ser tornar um grande membro da Starforce (exército Kree) e proteger sua raça dos Skrulls.


Quando algo dá errado em uma missão e Vers precisa vir a Terra para impedir os Skrulls, ela acaba descobrindo mais sobre o seu passado. Vers na verdade é Carol Danvers e estava se preparando para seguir os passos da sua mentora Mar-Vell (Annette Bening). Essa é uma das mudanças em relação aos quadrinhos, lá Mar-Vell é um homem. Em seu passado na Terra, Denvers sempre ouviu coisas do tipo: "Você não é forte o suficiente", "Você é muito pequena", "Isso não é brincadeira de menina", "Você é fraca", "Você não vai conseguir". E isso só a motivava a não desistir e mostrar que era capaz.


O filme é um dos melhores já produzidos pela Marvel e consegue acertar em todas as vertentes que aposta: humor, ação, aventura, crítica social. Carol Danvers é uma personagem forte, mas não perfeita. Ela erra, cai. Mas sempre levanta e continua. Tenta de novo até conseguir. Essa é uma grande lição que o filme nos ensina. Uma personagem carismática, irônica, atrevida, tudo na medida certa.


A parceria dela com Nick Fury (Samuel L. Jackson) rende momentos impagáveis. E o reencontro e participação da sua melhor amiga, Maria Rambeau (Lashana Lynch) é uma aula de sororidade, empoderamento e força. Esses dois personagens tornam esse filme ainda mais incrível. Sem falar que temos ainda o gato Goose (nos quadrinhos chamado de Chewie em homenagem ao Chewbacca de Star Wars) que rouba a cena sempre que aparece. E temos ainda a pequena Monica (Akira Akbar) que também só agrega nesse time. Uma curiosidade é que Monica se torna a heroína Espectro nos quadrinhos então podemos esperar surpresas aí!


O filme ainda consegue nos surpreender com relação ao verdadeiro vilão e sua motivação. Tem uma homenagem a Stan Lee que arrepia e duas cenas pós-créditos imperdíveis! Enfim, assistam! É um filme que explica muita coisa do Universo Marvel e nos mostra que a heroína pode ser a chance para derrotar Thanos (talvez com uma ajudinha do Thor). Super recomendo!


E você já assistiu Capitã Marvel? Conta pra gente nos comentários o que achou!



Por: Rodrigo Fonseca
Siga-me no Instagram e acompanhe minha Fan Page

10 março, 2019

[Resenha] A contrapartida de Uranio Bonoldi
março 10, 20190 Comentários

O livro A contrapartida de Uranio Bonoldi é um thriller sobre o poder de uma decisão da qual a editora Valentina está apostando neste início de 2019. No começo do livro já temos um assassinato e a reação do assassino com o seu feito, ele se acha um monstro e não aguenta mais aquilo. Após dar um jeito nos corpos ele faz uma ligação para uma mulher dizendo ter alguns ingredientes e que deixaria na casa dela.

No próximo capítulo voltamos muito no tempo descobrindo que esse assassino é nada menos do que o nosso protagonista, Octávio Albuquerque, mas chamado o tempo todo de Tavinho. Octávio perdeu seu pai que também era chamado de Octávio Albuquerque quando tinha apenas quatro anos, ele foi assaltado e durante o assalto levou um tiro no meio da têmpora.

O autor volta em inúmeras ocasiões no passado, mostrando como Cristina, mãe de Tavinho, conheceu seu pai e a índia Iaúna. Cristina era bem nova quando conheceu Iaúna na Amazônia, a índia havia perdido a sua tribo que foi exterminada pelos homens brancos e corria sério risco de vida pois estava marcada por eles para morrer. Apesar da diferença de idade, Iaúna com os seus 30 anos e Cristina em volta dos 20, elas se tornaram grandes amigas, até que Cristina resolveu falar com seus pais para adotarem Iaúna, eles no começo negaram e falaram que não daria certo, mas acabaram aceitando. Iaúna seria adotada e passaria a morar com eles onde ajudaria nos deveres de casa e receberia um salário por isso.


O tempo passou e os pais de Cristina morreram e ela decidiu dar a casa deles para a índia, pois ela e Octávio já possuíam a sua própria casa. Iaúna manteve-se sempre fiel a sua grande amiga ajudando-a sempre no que era possível, até mesmo na criação de Tavinho quando ele perdeu o pai.

Acontece que Tavinho ao crescer passou a ter uma grande pressão em cima dele, os professores esperavam resultados excelentes na escola, assim como havia sido com o seu pai, mas Tavinho tinha muita dificuldade e mesmo tendo professor particular e dedicando horas de estudo, o conteúdo simplesmente desaparecia da sua mente como se nunca tivesse estudado.

Iaúna observando o sofrimento do garoto, decidiu trazer um ritual antigo da sua tribo que não era praticado por mais ninguém, e de forma cruel eles faziam um elixir que trazia grande inteligência para quem tomava. E com isso, ela conseguiu convencer um Tavinho de 13 anos que com o elixir ele seria muito inteligente e seguiria o grande sonho de ser médico.

Tavinho fez uma grande escolha aos seus 13 anos que mudou completamente o rumo da sua vida, pois os ingredientes do elixir era o cérebro e o coração de uma pessoa ruim, ele deveria tomar o líquido enquanto Iaúna fazia um ritual que duraria horas. O efeito do elixir era imediato e o uso dele afetou completamente a vida de Tavinho, pois agora ele era muito inteligente conseguindo impressionar a todos.
O livro nos conta a história de Tavinho até chegarmos no ponto em que vimos no primeiro capítulo, o que eu achei fantástico, o autor também conseguiu me surpreender com algumas revelações e me prender durante a leitura do livro.

O começo do livro é um pouco lento, mas a partir do momento em que a narrativa começa a andar, eu tenho certeza que você, caro leitor, não conseguirá mais parar.

A contrapartida é um livro cheio de manipulações e decisões importantes que definem o caminho que iremos trilhar no futuro, além de refletir sobre a ética e a moral. Se você é apaixonado em Thriller, eu recomendo bastante esse livro. Você irá adorar acompanhar as decisões de Tavinho e os assassinatos que dona Iaúna comete para conseguir os ingredientes.

Avaliação:
4/5



[Mangá] Nanatsu no Taizai (The Seven Deadly Sins) - primeiras impressões
março 10, 20190 Comentários

Olá amores, tudo bem com vocês?


Hoje trago a vocês o novo vídeo que saiu lá no canal! Vim falar um pouco do mangá e do anime de Nanatsu no Taizai (The Seven Deadly Sins). É um vídeo bem divertido, então não deixe de conferir!